Dia do Goleiro

“FIGURA TÃO MALDITA , QUE, ONDE PISA, NÃO NASCE GRAMA”

Imortalizado por Nelson Rodrigues, o adágio acima foi criado por um botafoguense chamado Nelson Prancha, nos anos 50. A ingrata posição, única a merecer um dia em sua homenagem, tem em Barbosa um símbolo da maldição. O gol que tomou em pleno Maracanã, em 1950, dando o título mundial ao Uruguai, marcou para sempre o goleiro: “Já faz 48 anos que estou pagando essa pena”, desabafou em 1998. Por incrível que pareça, para certos goleiros tomar um gol virou a maior glória. Zaluar, reserva do Corinthians de Santo André, certa tarde de setembro de 1956 tomou o maior gol de sua vida: o primeiro da carreira profissional de Pelé. Orgulhoso, sacava do bolso seu cartão
de visita: Zaluar – o goleiro que levou o primeiro gol de Pelé. Na equipe de veteranos em que atuava, ele vestia a camisa com a inscrição “Goleiro Rei Pelé 0001”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: