Histórias do Brasil

Brasil (de Pelotas) ganhou do Uruguai por 2 a 1 em 1950

Em 1950, a seleção brasileira viveu sua maior tragédia ao perder a final da Copa do Mundo para o Uruguai, em pleno Maracanã, por 2 a 1. Mas saiba que um outro Brasil comemorou uma vitória sobre os mesmos uruguaios, também por 2 a 1, três meses antes. O feito é do Brasil de Pelotas, o pequeno e valente time do interior gaúcho. E aconteceu na casa dos hermanos.

Pouco antes da Copa, a seleção uruguaia promoveu uma série de amistosos preparatórios para a competição. Valendo-se da proximidade, convidou o Brasil que veste rubro-negro para uma partida no estádio Centenário, em Montevidéu. O jogo mexeu com os ânimos dos fiéis xavantes – como são chamados os torcedores do clube. A Celeste Olímpica entrou em campo com o time principal, inclusive com o atacante Gigghia, algoz da seleção brasileira no Maracanã. Mas naquele dia as coisas não andaram bem para os uruguaios. Com gols de Mortosa e Darci, o time de Pelotas saiu com a vitória, considerada um dos primeiros grandes feitos da história do futebol gaúcho.

“Foi uma euforia extraordinária. Um time considerado médio ganhando dos poderosos uruguaios na casa deles…”, lembra Nilvio Benitez Severo, que acompanhou a partida pelo rádio. Meses depois, diante do desastre no Maracanã que deu o título mundial para o Uruguai, teve xavante que não ficou triste. Pelo contrário. Com orgulho gauchesco, alguns celebraram: “O nosso Brasil ganhou dos uruguaios!” O feito é comemorado até hoje, 67 anos após a façanha, pelos torcedores do Brasil de Pelotas. Um time de poucos títulos (ganhou apenas um Campeonato Gaúcho, o primeiro, em 1919), mas que mantém uma das mais fanáticas torcidas do Sul do País.

Da Redação do Almanaque Brasil