Histórias do Brasil

Elza Soares: “Habitante do planeta Fome” deixa Ary de boca aberta

Não se sabe ao certo o ano de nascimento de Elza Soares. O biógrafo José Louzeiro registra 1930. Há quem diga 1937. A menina criada na favela Água Santa, Rio, teve infância dura. Foi lavadeira, encaixotadora, empregada doméstica. Na autobiografia Minha Vida com Mané, lembra: “Fui doméstica na flor dos anos. O difícil é conter os avanços do dono da casa. Minhas pernas levaram muito beliscão avulso pelos corredores”.

Em 1953, subiu ao palco pela primeira vez, no programa de calouros de Ary Barroso. Disseram que deveria ir bonita. Pegou uma saia da mãe e uma camisa larga. Não pesava mais do que 40 quilos. Dobrou os panos que sobraram e enfiou uma porção de alfinetes. Fez duas marias-chiquinhas. Ao entrar em cena, gargalhadas no auditório. Ary perguntou: “De que planeta você veio, minha filha?”. Mais risadas. A resposta veio seca: “Do planeta Fome, seu Ary”.

A orquestra quebrou o silêncio. Lama, de Paulo Marques e Ailce Chaves: Se eu quiser fumar, eu fumo / Se eu quiser beber, eu bebo / Não me interessa mais ninguém / Se o meu passado foi lama. A figura mirrada deixou a plateia de boca aberta. Saiu com a nota máxima e a lembrança das palavras de Ary: “Senhoras e senhores, neste exato momento acaba de nascer uma estrela”.

Da Redação do Almanaque Brasil