Histórias do Brasil Musica

Miele, ele mesmo, gravou o primeiro rap do Brasil

Pode parecer estranho, mas o primeiro rap nacional foi gravado por Luiz Carlos Miele, conhecido por sua ligação com a bossa nova e por apresentar programas de tevê. Em 1980, o produtor musical se uniu ao humorista Arnaud Rodrigues para lançar o compacto Melô do Tagarela, uma versão de Rapper’s Delight, do trio norte-americano Sugarhill Gang.

O tom da música que dá nome ao disco é de humor, mas não deixa de fazer críticas políticas e sociais, o que marcaria o rap brasileiro nas décadas seguintes. Como nos versos Vou comprar alguma coisa / Tô vidrado num almoço / Mil cruzeiros pela carne / Paga um quilo, leva um osso ou Tanta sigla, tanta letra / Que o povo esperançoso / Que só quer voto direto / Vai vivendo de teimoso.

Na parte final, porém, o “rapper” deixa claro que não o troca o País por qualquer outra nação: Se o amigo for do contra / Não gostar do meu Brasil / Não tem nada / Não tem bronca / Vai pra… Vai pra onde, malandro?.

Há quem diga que o primeiro rap nacional é Deixa Isso pra Lá, gravado por Jair Rodrigues em 1964. Só que naquela época não havia rap sequer nos Estados Unidos. DJ Hum, um dos DJs mais importantes do gênero no País, fala com carinho da composição de Miele: “Quem é da época lembra que este compacto não podia faltar em nenhuma festa. A batida funk boogie e os versos no estilo paródia retratando a realidade do Brasil detonava nos clubes”.

Por Bruno Hoffmann