Brasil hoje Musica

Augusto Teixeira dá um ritmo mais calmo ao cotidiano em “Estação Felicidade”

Paulista do interior, o cantor, compositor e violonista Augusto Teixeira acaba de lançar seu álbum de estreia, Estação Felicidade, nas plataformas digitais.O trabalho traz 13 faixas com músicas regionais, contemporâneas, sambas, baiões e até um flamenco. Há as participações de Zeca Baleiro, Ceumar, Pedro Iaco e Lilian Estela.

A produção do álbum era um desejo antigo de Augusto. Ele começou a se dedicar ao violão no começo dos anos 2000, e no fim da década já vivia exclusivamente da música. Algo necessário para criar seu estilo cheio de referências à canção tradicional do Brasil.

22687604_1490717491004940_7040981841849417563_n
Capa de “Estação Felicidade” (imagem: divulgação)

Desde a primeira faixa é perceptível sua maneira desacelerada, sem pressa, de fazer música. Em seu som há algo de Edu Lobo em seus trabalhos iniciais. A intenção fica clara nos versos de A Quem Espera na Brisa: Vem, juvenil brisa, cantar / Vamos onde utopias vão transformar / Pés em plumas nas ruas / Enfrenta essas nuvens de gás / Pro céu se abrir.

Entre as outras canções de destaque estão Costura, uma homenagem à sua mãe costureira e ao seu pai, trabalhador rural, e A Luz de Luzia, que traz suas impressões sobre o bairro paulistano da Luz, onde fica a Cracolândia. Essa última conta com a participação de Zeca Baleiro.

As faixas foram produzidas pelo próprio Augusto e pelo violonista Leo Costa. A capa é assinada por Elifas Andreato, criador deste Almanaque.

Por Bruno Hoffmann