Histórias do Brasil Musica Samba

Nara Leão foi atrás dos “artistas populares genuínos”

“Chega de bossa nova. Chega de cantar para dois ou três intelectuais uma musiquinha de apartamento. Quero o samba puro, que tem muito mais a dizer, que é a expressão do povo.” Desse modo Nara Leão marcou o rompimento com a bossa numa entrevista à revista Fatos & Fotos, em 1964.

A ex-símbolo do movimento passou a se aproximar dos sambistas de morro, ou “dos artistas populares genuínos”, como definia. Esse encontro está registrado no disco Opinião de Nara. Recebeu, inclusive, Zé Keti e Nelson Cavaquinho em seu famoso apartamento de Copacabana para aprender as músicas. Entre elas, Opinião, de Zé Keti: Podem me prender / Podem me bater / Podem, até, deixar-me sem comer / Que eu não mudo de opinião / Daqui do morro / Eu não saio, não

maxresdefault (3)

Procurado na semana seguinte pela mesma Fatos e Fotos, Roberto Menescal brincou: “Quando Nara souber o que é música pura e conseguir transmiti-la, todos seremos músicos puros e iremos para o céu. Enquanto isso não acontece, continuamos nos apartamentos fazendo bossinha nova para vender”.

Por Bruno Hoffmann