Histórias do Brasil Musica Samba

Ary Barroso morreu no mesmo dia que a Império Serrano o homenageou

Para o carnaval de 1964, a Império Serrano preparou o enredo Aquarela Brasileira, uma homenagem às belezas naturais e culturais das diversas regiões do País e a Ary Barroso, o compositor de Aquarela do Brasil três décadas antes. O samba-enredo criado por Silas de Oliveira entraria para a história da música nacional: Vejam essa maravilha de cenário / É um episódio relicário / Que o artista, num sonho genial / Escolheu para esse carnaval

Pouco antes de entrar na avenida, em 9 de fevereiro de 1964, porém, a notícia começou a correr de boca em boca: Ary havia acabado de morrer, vítima de cirrose hepática. A novidade caiu como um balde de água fria na escola. Muitos desfilaram cabisbaixos. Por alguns instantes, a bateria parou de tocar, em homenagem ao compositor. Por esses fatores, a escola acabou perdendo pontos e amargou a quarta colocação. A campeã seria a Portela.

Apesar da má colocação, o samba de Silas de Oliveira é relembrado até hoje como um das mais belos já apresentados durante os desfiles carnavalescos. E quem o cantou também entraria para a história. A interpretação ficou a cargo de Carmen Silvana, a primeira mulher a puxar um samba no carnaval carioca.

Por Bruno Hoffmann

Apoio:

Raiz