37 – Abril de 2002

AOS HUMANOS E AOS CÍNICOS 

As mensagens de solidariedade que recebemos, pelas confissões feitas neste espaço, comovem. E nos dão força para superar as dificuldades em manter circulando este nobre Almanaque sem os anúncios de que precisa para sobreviver. Já disse aqui: quem sabe assim acordamos anunciantes e publicitários para a importância deste veículo, que com esta edição completa três anos de serviços prestados à memória do nosso País. Não é mais, portanto, uma aventura.

O personagem destacado nesta edição especial é Juscelino Kubitschek de Oliveira. A partir deste número até setembro, publicaremos em capítulos a extraordinária biografia de JK como parte das comemorações do centenário de seu nascimento. Para quem não sabe ou não se lembra mais, foi o presidente que num comício -aliás, o primeiro de sua campanha, em Jataí, Goiás, em 1955- prometei a certo Toniquinho que construiria uma nova capital para o País. Cumpriu a promessa e fez muito mais; nos fez acreditar no futuro do Brasil e realizou outro feito extraordinário: nos ensinou a sorrir.

Nasceu pobre, em Diamantina, a 12 de sebembro de 1902, e tornou-se nosso estadista maior. E se, com fé inabalável no povo brasileiro, conseguiu construir obra tão extraordinária, por que não haveremos de fazer sobrviver este modesto Almanaque?

O ilustre presidente JK calçou sapatos, pela primeira vez na vida, quando tinha 12 anos. Eu também. Mas não terei de construir uma cidade para ser a capital do meu País, patrimònio da humanidade, em pouco mais de três anos. Terei apenas de persistir junto aos humanos de boa vontade, para que anunciem neste humilde Almanaque, a resistir à indiferença dos cínicos de mal vontade. Boa leitura e ótima viagem!

Elifas Andreato