ecebemos diariamente mensagens de admiração, mas um bilhete como o do menino Sadi Leffa Cardoso, de Belo Horizonte, faz a gente chorar; e lamentar que os
100 mil exemplares distribuídos mensalmente sejam insuficientes para atender milhares de pedidos dos mais distantes lugares do País. São mensagens que nos dão força para perseverar. Obrigado, Sadi, e a todos quantos nos deram força nestes quatro anos de vida do ALMANAQUE BRASIL DE CULTURA POPULAR.

Elifas Andreato
(Editor do ALMANAQUE BRASIL)