61 – Abril de 2004

22…………….Dia da Comunidade Luso-brasileira

PORTUGUESA NASCE NO BRASIL (PARA O CINEMA)


Carmem Santos

Uma portuguesa naturalizada brasileira atravessou fronteiras e virou sinônimo de brasilidade. Pioneira do cinema nacional, foi a segunda mulher a atuar, produzir e dirigir um filme no País — depois de Cleo de Verberena (1909-1972), que em 1930 fez O Mistério do Dominó Preto.

Maria do Carmo Santos Gonçalves, ou Carmem Santos, nasceu em Vila da Flor, há cem anos.

Veio criança para o Rio. Atriz, estreou no cinema aos 15 anos, em Urutau (1919), de William Jansen. Ao lado de Adhemar Gonzaga, Humberto Mauro e outros cineastas, lutou pela implantação de uma indústria de cinema no País.

Nos anos 1930, fundou a companhia Brasil Fox Filmes, futura Brasil Vita Filmes, que produziu obras como Favela dos Meus Amores (1935) e Cidade-Mulher (1936), de Humberto Mauro.

Seu filme mais ambicioso foi Inconfidência Mineira (1948), estrelado e dirigido por ela. Levou dez anos para concluir, dados os minuciosos cuidados com cenários e figurinos, interrupções, substituição de técnicos e atores.

Carmem morreu de câncer, em 1952, ao 48 anos. Dizia:

“Nasci para o cinema e de nada mais quero saber, nada mais, e Deus me livre de pensar um instante sequer em outra paixão.”


Saiba mais: Carmen Santos – O Cinema dos Anos 20, de Ana Pessoa (Ed. Aeroplano, 2002).