Errata e sugestão

{maio de 2010}

Theatro José de Alencar completa 100 anos e é cenário/personagem de obra infantil

Em primeiro lugar, uma importante errata: no Letras do Brasil da edição 131 do Almanaque (março), sobre o livro A Bailarina Fantasma, queríamos nos referir ao Theatro José de Alencar, em Fortaleza, e não ao Teatro Castro Alves, como grafado – este outro fica em Salvador.

Aproveitamos a falha para reforçar a sugestão do livro. A autora Socorro Acioli baseou-se numa recorrente lenda de assombração no José de Alencar para remontar a história do próprio teatro – em forma de romance infantil. Um belo presente ao centenário do prédio, comemorado esse ano.

O book trailer da obra – o primeiro book trailer do Ceará, por sinal:

Além de imaginar uma bela história para a lenda da bailarina fantasma, que pesquisou entre os funcionários do teatro, Socorro aproxima os leitores delicadamente ao tema da morte – Anabela, inclusive, é órfã de mãe.

Como pano de fundo, está o Teatro José de Alencar e sua história, que começou com meses de espera até que a estrutura metálica atravessasse o Atlântico, vinda da Escócia. A edificação mantém sua importância seja como monumento ou espaço cultural, e hoje é peça importante para a revitalização do centro de Fortaleza.

Clique para ler a resenha da escritora Marisa Lajolo.

A Bailarina Fantasma, de Socorro Acioli
Biruta, 134p., R$ 34

Da Redação
Nenhum comentário. Comente!
Compartilhar