21 de novembro – dia mundial da televisão

PERGUNTAR OFENDE, SIM

Falso repórter fazia perguntas que repórter de verdade não faz

{novembro de 2006}

Marcelo Tas em "A História do Brasil segundo Ernesto Varela".

Ernesto Varela era repórter de mentira, criação do jornalista de verdade Marcelo Tas. Na década de 1980, com perguntas diretas, desconcertava fi guras da política. Certa ocasião, interrompeu entrevista coletiva com o governador paulista Orestes Quércia perguntando se ele se achava parecido com o ator americano Robert Redford. “Eu não”, respondeu Quércia, visivelmente constrangido. E, para Paulo Maluf: “Por que todos dizem que o senhor rouba?”, ao que Maluf riu e saiu andando.
Segundo Tas, Ernesto Varela era sucesso porque fazia as perguntas que todos queriam fazer mas não podiam. Em suas incursões, o repórter saía sempre acompanhado pelo também fictício cinegrafista Valdeci, posto que diferentes profi ssionais ocuparam. O primeiro Valdeci foi o cineasta Fernando Meirelles, diretor de Cidade de Deus e O Jardineiro Fiel.
O quadro do repórter mais desconcertante da tevê brasileira foi criado na produtora independente Olhar Eletrônico, formada por jovens criadores que apostavam em experimentações usando a nascente linguagem do vídeo. De 1983 a 1991, com interrupções, o quadro passou pelas tevês Gazeta, Manchete e MTV.
Recentemente, Tas ressuscitou o repórter na peça A História do Brasil Segundo Ernesto Varela, apresentada no Teatro Tucarena, em São Paulo. Mesclando vídeo e teatro, o espetáculo multimídia fica em cartaz até 26 de novembro. Durante a peça, protagonizada por Tas, são exibidos alguns dos melhores vídeos do repórter. Quem não puder ir, pode assistir ao DVD Ernesto Varela, o Repórter, disponível em escolas e bibliotecas.

SAIBA MAIS
www2.uol.com.br/marcelotas/varela/ .

Rafael Capanema
Nenhum comentário. Comente!
Compartilhar



Tags: , , ,