LINHA DO TEMPO

SÃO PAULO

Fatos e personagens que merecem entrar para a história da quarta maior cidade do mundo

{janeiro de 2004}

Em 25 de janeiro de 2004, São Paulo faz 450 anos. A quarta maior cidade do mundo, atrás apenas de Tóquio, Cidade do México e Bombaim (Índia), em quatro séculos e meio passou dos 80 habitantes aos atuais 10 milhões e meio. Recebeu, de todos os cantos do País e do mundo, gente que ajudou a construir também o maior poderio econômico do Brasil. Na linha do tempo a seguir, os principais fatos e personagens da história dessa grandiosa metrópole, orgulho dos paulistas e de todos os brasileiros.

1554
Em 25 de janeiro, na colina que os índios chamam Inhapuambuçu, entre os rios Tamanduateí e Anhangabaú, José de Anchieta (1534-1597) e Manoel da Nóbrega (1517-1570) fundam o Colégio dos Jesuítas. Os moradores em volta, índios e alguns brancos, vivem do milho, feijão, mandioca, caça e pesca. Com seis anos, o povoado torna-se vila.

 1711
Vila elevada a cidade.

1727
Ladeira da Memória, ou Piques, aparece em registros como ponto de tropeiros.

1765
O Colégio é confiscado dos jesuítas e transformado em sede do governo da cidade.

1784
Governo do capitão-general Francisco da Cunha Meneses começa a calçar ruas.

1798
Criadas duas linhas do correio, para Santos e Rio de Janeiro.

1800
Construção da igreja da Consolação.

1809
Surgem placas nas ruas e numeração nas casas.

1822
À s margens do riacho do Ipiranga, Pedro I declara a Independência. São Paulo torna-se capital da Província. Primeiro censo:
População – 6.920 habitantes. Havia 1.143 com menos de 10 anos e 41 entre 80 e 100 anos. Eram 2.916 homens, 4.004 mulheres.

1825
Abre-se o Jardim da Luz, com 113.400 m2, equivalente a 12 campos de futebol.

1827
Fundada Academia de Direito do Largo São Francisco.
Surge jornal impresso, O Farol Paulistano.

1829
Em 22 de fevereiro toma posse primeira Câmara Municipal.
Surge O Observador Constitucional, editado pelo médico Líbero Badaró (1798-1830), de idéias liberais, assassinado em 20 de novembro.

 1830
A Câmara estabelece penas para moradores que despejem “imundícies” na rua.

1842
Em 27 de abril, inaugurada iluminação com lampiões a gás.

1850
Catedral muda do Colégio para a Sé.

1852
Inaugurado, em 7 de maio, o Recolhimento de Presos, na Avenida Tiradentes.
Criado, em 14 de maio, o Hospício de Alienados.

1853
Circula primeiro diário, O Constitucional.

1854
Surgem hotéis: Paulistano (Rua São Bento), do Comércio (Rua Floriano Peixoto), da Providência (Rua do Comércio) e Universal (Pátio do Colégio).

1855
Poder público proíbe rótulas – meias-portas e janelas que permitem ver sem ser visto.

1857
Proibido aos sapateiros, alfaiates, e outros que trabalhem nos passeios, dispor bancos e objetos que possam “ofender o trânsito”.

1858
Inaugurado Cemitério da Consolação.

1867
Inaugurada Estrada de Ferro Santos-Jundiaí (São Paulo Railway) para escoar a produção de café.

1872
João Theodoro Xavier, presidente da Província, regulariza a futura Praça da República. Teve vários nomes: Largo dos Curros, quando ali ocorriam touradas e corridas de cavalo; Praça dos Milicianos, quando se realizavam exercícios militares; Largo 7 de Abril, quando servia ao treinamento de cocheiros. Em 1889, finda a monarquia, recebeu o nome atual. Hoje é espaço cultural, com feiras artesanais.

1877
Veridiana Valéria da Silva Prado (1825-1910) separa-se do tio paterno Martinho Prado e causa escândalo. Havia casado aos 13. Construiu em Higienópolis palácio que virou centro da vida social e intelectual. Seu filho, o quarto Antônio Prado, se tornaria prefeito [ver 1898]. Ao morrer, beneficiou no testamento mulheres da família e amigas, com a condição de não partilharem os bens com os maridos. Pediu perdão a quem pudesse ter ofendido e enterro de segunda classe. Hoje é nome da rua em que viveu.

1879
Dois alemães, Glete e Nothmann, compram chácara e loteiam, nos Campos Elísios. São nomes de ruas do bairro.

1888
Abre-se a Hospedaria dos Imigrantes, na Luz. Em 1978 é transformada em Museu da Imigração.

1891
Inauguradas: iluminação elétrica e Avenida Paulista, projetada pelo engenheiro uruguaio Joaquim Eugenio de Lima, que com sócios comprou parte da Chácara do Capão e loteou. Apedregulhada em 1894, em 1903 recebeu macadame e viria a ser a primeira via asfaltada e arborizada da cidade.

1892
Inaugurado Viaduto do Chá, obra do engenheiro Jules Martin. A Baronesa de Itapetininga, dona da chácara que ficava na entrada, contesta a obra. Só saiu após julgamento; sua casa foi demolida.

1893
População: 200 mil. Na Rua Direita transita primeiro automóvel: a vapor, com quatro rodas de borracha, fornalha, caldeira e chaminé, para dois passageiros. Propriedade de Henrique Santos-Dumont, irmão do Pai da Aviação.

1895
Fundado Museu Paulista (do Ipiranga) no Dia da Independência.

1896
Em 1º de agosto, primeira exibição cinematográfica, homenagem ao presidente Campos Sales.
Inaugurado Jardim da Infância: Escola-Modelo Caetano de Campos, orientada pela americana Miss Brown.

1897
Há dois italianos para cada brasileiro na cidade.

1898
Prefeitos passam a ser eleitos. O primeiro é Antônio da Silva Prado.

1899
Fundada São Paulo Light and Power Company, empresa canadense de energia, transporte e telefone.

1900
Novidades: greves, reprimidas a cacetadas; bondes elétricos; Escola Politécnica; Moinho Matarazzo.

1901
Inaugurada Estação da Luz, cópia de estação australiana.
Henrique Santos-Dumont, placa P-1, pede isenção da taxa sobre automobiles, alegando mau estado das ruas. A prefeitura cassa-lhe o direito de trafegar.

1902
Inaugurado Parque Antarctica, onde ficava a Companhia Antarctica Paulista.

1903
Fundado Centro Acadêmico XI de Agosto, da Faculdade de Direito.
Prefeitura inspeciona automóveis, fornece placas, estabelece velocidade máxima de 30 km por hora e que em lugares populosos “a velocidade será a de um homem a passo”.

1905
Inaugurado Liceu de Artes e Ofícios, atual Pinacoteca do Estado.
Anarquista Edgar Leuenroth lança jornal Terra Livre, cuja divisa é: O homem livre sobre a terra livre.

1907
Primeiro cinema, Bijou-Théatre, na São João.

1908
Julio Ferrez lança A Mala Sinistra, filme inspirado no “crime da mala” (criminoso esquartejou o corpo da vítima, pôs numa mala e despachou de navio para a Europa)

1910
Fundado o Sport Club Corinthians Paulista.

1911
Teatro Municipal inaugurado.
Jornal La Battàglia: “A jornada de trabalho (…) vai de dez a treze ou quatorze horas. O colono (…) vive em imundas pocilgas de barro.”

1913
Inaugurado Mappin Stores, loja na 15 de Novembro, que atende à aristocracia cafeeira.

1917
Inaugurado Teatro São Pedro.
Tecelãs iniciam greve geral por melhores salários: 20 mil operários param.

1920
Inaugurado presídio no Carandiru: Instituto de Regeneração.

1922
De 13 a 18 de fevereiro, a Semana de Arte Moderna choca a sociedade.

1924
Lançados Clarim da Alvorada, jornal da “mocidade negra”, e Frente Negra.

1925
Fundada Biblioteca Municipal, batizada Mário de Andrade em 1960.

1930
Fundada escola de samba Vai-Vai.

1931
Nasce IPT, Instituto de Pesquisas Tecnológicas, suporte da industrialização.

1932
Em 9 de julho estoura Revolução Constitucionalista.

1933
Inaugurado Mercado Municipal, projeto de Ramos de Azevedo. Luz natural passa por 55 vitrais do russo Conrado Sorgenicht Filho. Movimento diário hoje: 20 mil pessoas e 350 t de alimentos.

1934
Decreto estadual de 25 de janeiro cria Universidade de São Paulo (USP).
Inaugurado Edifício Martinelli, maior do País: 26 andares.

1935
Fundado São Paulo Futebol Clube.
Criado Departamento de Cultura sob direção de Mário de Andrade.

1936
É construída primeira pista do aeroporto de Congonhas.

1940
Inaugurado Estádio do Pacaembu, cujas obras foram iniciadas em 1937.

1946
Em 6 de novembro, incêndio destrói a Estação da Luz, dias antes de a São Paulo Railway passar a controle federal.

1947
Inaugurado Masp (Museu de Arte de São Paulo), iniciativa de Assis Chateaubriand e do crítico de arte italiano Pietro Maria Bardi.

1948
Fundados: Mam (Museu de Arte Moderna); FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP); TBC (Teatro Brasileiro de Comédia).

1950
Primeira transmissão da Tv Tupi, para pontos estratégicos e cinco casas.

1951
Francisco Matarazzo Sobrinho inaugura a Bienal.

1953
Jânio Quadros primeiro prefeito eleito diretamente desde 1930.

1954
Em 25 de janeiro, quarto centenário, inaugurados: Monumento às Bandeiras, de Brecheret; Catedral da Sé; e Parque do Ibirapuera, obra de Oscar Niemeyer e do paisagista Burle Marx, que incluía o viveiro Manequinho Lopes, homenagem ao funcionário Manuel Lopes de Oliveira, plantador de árvores que transformaram a região desde 1927.

1957
Inaugurado primeiro planetário brasileiro, no Ibirapuera.

1962
Aparelhos medem ruídos urbanos: de 20 a 60 vezes maiores que os causadores de lesões no aparelho auditivo e sistema nervoso.

1963
Funciona o IEB (Instituto de Estudos Brasileiros), um dos melhores centros de documentação do País, fundado por Sérgio Buarque de Holanda.

1965
Primeiros festivais de música popular pela tv, na Excelsior e na Record.
Inaugurado edifício Itália, projetado pelo suíço Franz Heep, mais alto da cidade, 163 m.

1966
Concluído o primeiro shopping center da cidade: Iguatemi.

1968
Universitários do Mackenzie e da Faculdade de Filosofia da USP entram em conflito na Rua Maria Antônia.

1970
Inaugurados Museu de Arte Sacra e complexo viário Consolação-Rebouças-Dr. Arnaldo (1ª etapa).

1971
Inaugurado elevado, que o povo apelidou de Minhocão.

1974
Incêndio no edifício Joelma: 187 mortos, em 1º de fevereiro.

1975
Primeira implosão põe abaixo o prédio Mendes Caldeira, na Sé.

1977
Polícia dissolve protesto estudantil na Pontifícia Universidade Católica, mutila uma moça e prende mais de mil.

1980
Papa João Paulo II encontra operariado e, inconformados, direitistas seqüestram líder católico Dalmo Dallari, para impedi-lo de ler saudação; mesmo ferido, Dallari cumpre a missão.

1982
Criado Centro Cultural São Paulo, na Rua Vergueiro.

1984
A 25 de janeiro, manifestação pelas Diretas-Já na Sé reúne 300 mil.

1985
Inaugurado Aeroporto de Cumbica.

1988
Carros particulares não saem às ruas por causa da poluição, em 13 de julho.

1989
Em 1º de janeiro, Luiza Erundina (PT) é a primeira mulher a governar a cidade.

1992
Em 2 de outubro, rebelião no Carandiru reprimida pela PM sob comando de Ubiratan Guimarães: 111 mortos a facadas, pauladas e tiros.

1997
Em 28 de junho, primeira Parada Gay reúne 400 pessoas na Paulista.

2001
Em 1º de janeiro, pela segunda vez a cidade é governada por uma mulher, Marta Suplicy (PT).

2003
Prefeitura inaugura em Jambeiro, zona leste, primeiro CEU (Centro Educacional Unificado).

2004
Em 25 de janeiro, missa oficial na Catedral da Sé dá inicio às comemorações. Parada São Paulo 450 anos, pelas principais avenidas e bairros da cidade.

Mariana Proença
Nenhum comentário. Comente!
Compartilhar



Tags: , , ,