A Revista | Assine já! | Edições Anteriores | Expediente | Contatos
:: Seções
:: Busca

Procure pelo site:


Todas as palavras
Qualquer palavra
Frase inteira

Apoio cultural:

109 - Maio de 2008

Preser var a memória é preser var a nós mesmos

Desde as vésperas de seu aniversário de 30 anos, a TAM vem investindo na construção de seu acervo institucional. O primeiro passo dessa jornada se deu com a elaboração do livro Álbum de Família – Memórias da Nossa Gente, publicado em 2006, e que reunia cerca de 50 depoimentos de colaboradores da TAM, contando sua íntima relação com a companhia. Desde então, a empresa vem trabalhando pesado para reunir e sistematizar os documentos que registram parte de sua história, em um projeto desenvolvido pelo Centro de Memória Digital TAM. Ao longo do último ano, foram analisados mais de 140 mil documentos. O processo envolve ainda a restauração de fotos, documentos e objetos, como medalhas e estatuetas. Parte desse acervo, que inclui correspondências internas, troféus, uniformes e registros dos menus servidos a bordo ao longo de 30 anos de história, foi disponibilizado para os colaboradores em março. E já a partir do início de maio todo esse acervo poderá ser acessado livremente no site da TAM. Nessa primeira fase são apresentados cerca de 30 mil documentos. Coordenado pela empresa paulistana Espaço Conhecimento, o projeto envolve ainda a difusão da importância da preservação do acervo histórico, tanto para os colaboradores da empresa que lidam com documentos, quanto para escolas municipais que têm participado de oficinas sobre o assunto. E, apesar de se constituir hoje no maior acervo de memória institucional do País, o trabalho está longe de terminar. A projeção é que, até o fim de 2008, aumente em 500% o número de documentos disponibilizados ao público. Além disso, no mesmo período, mais de três mil colaboradores darão depoimentos sobre a empresa. A intenção é que todos os 22 mil funcionários da TAM sejam ouvidos. A iniciativa vem em consonância com o novo posicionamento de marca e mercado da TAM, e solidifi ca os princípios do fundador da companhia, Comandante Rolim Adolfo Amaro, morto em 2001: “Preservar a memória é preservar a nós mesmos”.

50 anos de bossa nova

Em 2008, a bossa nova completa 50 anos. Para reavivar a importância do gênero musical brasileiro com maior infl uência no cenário mundial, uma grande exposição no prédio da Fundação Bienal, no Parque Ibirapuera, em São Paulo, pretende lançar novas luzes sobre o movimento inaugurado por João Gilberto com a gravação de Chega de Saudade. Mais do que se ater à produção musical, a exposição Bossa 50 pretende celebrar a modernidade e a sofi sticação da bossa nova em um projeto múltiplo, que envolve moda, história, arquitetura, vídeo e artes visuais. Entre os curadores do projeto, estão o estilista Ronaldo Fraga, o músico e pesquisador Charles Gavin e o jornalista Fernando Faro. Bossa 50 é uma iniciativa da Rádio Eldorado, patrocinada pela Porto Seguro.

Capoeira angola no parque

Neste mês, acontece no Parque da Água Branca um evento que traz mestres da capoeira angola para São Paulo. A arte afro-brasileira será objeto de discussão com palestras, ofi cinas e, claro, muita capoeira. Saiba mais: www.angoleirosimsinho.org.br


Aproveite este balcão para mandar sugestões. Valem desde notícias de projetos culturais a informações sobre editais: [email protected] O Armazém está de portas abertas.

:: Novidades


Fique sabendo das atualizações do site e das novas edições da revista Almanaque Brasil. Digite seu e-mail aqui:


:: Enquete