Banner
Causo de Procissão E-mail
Escrito por Rolando Boldrin   

No interior, todo mundo canta olhando para o chão, compenetrado. O problema é se aparece uma surpresa no meio do caminho.


Era uma cidade cheia de subidas e descidas. Eis que, na rua comprida do centro da cidade, vai subindo a subida (é claro) uma longa e bonita procissão. Na frente, vai o padre carregando um grande crucifixo, puxando um cordão encabeçado por um andor, onde (é claro) ia o santo que dava motivo à festa. De um lado iam os congregados marianos de fitas no pescoço e velas acesas nas mãos. Do outro, as filhas de Maria, do mesmo jeito. Velas acesas e paramentos condizentes.

E todos os outros devotos esticando a procissão pra mais uns 200 metros de tamanho, cantando um hino muito conhecido: “Os anjos... todos os anjos... os anjos... todos os anjos...”.

Seguiam cantando de um jeito muito bonito  e compenetrado, todos olhando para o chão. Mais precisamente para os próprios pés, pois é assim o jeito de seguir uma procissão lá pros lados do interior.

Somente o padre, que puxava as cantorias, olhava para a frente e para o alto e cantava aquele estribilho.

De repente, apenas o padre – o único que olhava para a frente – avista, bem do alto da rua, à sua frente, um ônibus em ziguezague. O motorista, na janela, gritando desesperado que havia perdido o breque. Lá praquelas bandas, ônibus é chamado carinhosamente de jardineira. E aquela jardineira sem breque, seguindo em cheio no rumo da procissão, ia fazer o maior estrago. Foi nessa hora que o padre, percebendo a desgraceira que ia ser, olhando pra trás, grita bem alto para todos: “Turma! A jardineiraaaaaaaaaaaaa!”

Foi a conta. Todos interromperam a cantoria (“os anjos... os anjos...”) para, imediatamente, de um jeito festivo e carnavalesco, cantar: “Oh jardineira por que estás tão triste... mas o que foi que te aconteceu?”...


Adaptado de Contando Causos, de Rolando Boldrin (Nova Alexandria, 2001).

 

Adicionar comentário

Seus comentários serão moderados e assim que aprovados serão publicados no site.