Banner
Meu boi bumba de zabumba E-mail
Escrito por redação   

É um auto que "não ocorre em paragem alguma do mundo", segundo Câmara Cascudo.

Zás-bumba. O som da baqueta no bumbo deu nome ao instrumento: zabumba. Uma série de mitos relacionados ao boi, misturada com cultos negros e indígenas, deu origem ao bumba meu boi. E a zabumba faz parte.

É um auto que "não ocorre em paragem alguma do mundo", segundo Câmara Cascudo. Brasileiríssimo. Catirina quer comer a língua do boi; e o marido, por amor, a satisfaz. Mata o boi, que ao final ressuscita.

Em São Luís do Maranhão, acontece o Festival de Bumba meu boi de Zabumba, sotaque antigo e de origem mais africana. Em 1850, a Voz Paraense classifica o folguedo como "malta de moleques, perturbadores da ordem pública".

Ritmo vibrante e forte, essência da musicalidade negra. A zabumba faz a marcação e o tambor de fogo, lento, acompanha. Na cadência, tamborinhos e maracás vêm apressados.

O Semanário Maranhense descreve em 1868: "Introduziram na folgança um repinicado de matraca acompanhado por gritos estólidos e dissonantes que arrepiam a carne só de ouvir."

Até hoje, vários grupos se reúnem na Avenida Newton Bello desde as 22h e comandam a festa até o amanhecer.
 

Adicionar comentário

Seus comentários serão moderados e assim que aprovados serão publicados no site.