Banner
Amor proibido dá origem à lua E-mail
Escrito por Janaina Abreu   

Conheça a lenda de Iacia e sua irmão, Anacé.

Iaci é a mais bela cunhantã da tribo. Passa os dias colhendo frutos, caçando e pescando, acompanhada do irmão Anacé.

Depois de uma guerra, todos os companheiros estão mortos ou presos. Iaci tenta suavizar a dor de Anacé. Sente que não o quer apenas como irmão. Quando suas mãos o tocam, misto de prazer e medo a faz tremer.

Para fugir do amor proibido, propõe que se separem entre a lagoa e o taperê. O guerreiro reluta, mas ela o convence e parte com lágrimas nos olhos. À noite, vem a saudade. Vencida pelo amor, Iaci retorna e entrega-se a Anacé, que se apaixona, sem saber que é a irmã. Antes de clarear, Iaci foge dos braços do guerreiro ordenando que não a siga. Mas, para reconhecer a amada, Anacé lhe havia pintado o rosto com jenipapo. Iaci não desconfia do ardil.

De manhã, debruçada sobre as águas da lagoa, vê refletido o rosto coberto de manchas negras. Não consegue limpar. Desesperada, tenta apagar o sol, atirando-lhe flechas que formam uma escada até o céu. Iaci sobe para sempre. Quando a noite vai alta, vem olhar-se na lagoa prateada para ver refletida a face onde continuam inalteradas as manchas de jenipapo.


Minidicionário
Cunhantã - donzela de 15 a 20 anos.
Taperê - serra.
Jenipapo - fruto do norte, de que se extrai tinta preta.

 

Adicionar comentário

Seus comentários serão moderados e assim que aprovados serão publicados no site.