Banner
Semana Farroupilha E-mail
Escrito por Janaina Abreu   

A mais longa revolta popular do Brasil durou dez anos.

Uma Festiva Aula de Civismo

A Semana Farroupilha é o maior acontecimento festivo do Rio Grande do Sul. Entre 7 e 20 de setembro, os gaúchos perpetuam suas tradições. Desfilam botas, bombachas, esporas e cuias de chimarrão mais que o normal. A programação inclui desfiles, saraus, tertúlias, fandango, espetáculos nativistas, gastronomia típica, artesanato, rodeio, ronda e missa crioula.


Revolução Farroupilha

Há quase dois séculos, os gaúchos pegaram em armas e quiseram até separar-se do Brasil. Motivos principais: falta de autonomia em relação ao poder central e impostos pesados sobre os produtos que vendiam, como charque e couro, o que os fazia perder na concorrência com os uruguaios, argentinos, paraguaios.

Iniciada a 20 de setembro de 1835, nossa mais longa revolta popular durou dez anos. Opunha os conservadores e os revolucionários farrapos, assim chamados por seus trajes esfarrapados. A paz se fez em 1845, com a intervenção do futuro Duque de Caxias, que ofereceu anistia geral, libertação de todo escravo farrapo e atendimento de outras reivindicações. Houve três capitais farroupilhas: Piratini, Caçapava e Alegrete.

O líder da revolução foi Bento Gonçalves. Os festejos acontecem desde 1947. Começam quando um grupo de tradicionalistas faz a primeira ronda crioula. A cavalo, levam a "chama crioula" até o saguão do Colégio Estadual Júlio de Castilhos, em Porto Alegre. Simboliza fertilidade, calor, paixão, coragem, tradição.

Em 1948, é fundado o primeiro Centro de Tradições Gaúchas (CTG). Hoje existem mais de 1.600 CTGs no Rio Grande, em vários Estados, no Japão, Estados Unidos e França. Por meio dos CTGs, os gaúchos conservam vivas suas raízes e lembram as lutas de seus antepassados pelos ideais de justiça e liberdade.
 

Adicionar comentário

Seus comentários serão moderados e assim que aprovados serão publicados no site.