Banner
Escolas de samba virtuais fazem carnaval o ano todo E-mail
Escrito por Bruno Hoffmann   

O maior espetáculo da Terra agora na tela do computador.


Comissão de frente, samba-enredo, alegorias, intérpretes. Parece um desfile de escola de samba, certo? Quase. Um detalhe diferencia este carnaval dos demais: tudo ocorre pela internet. Desde 2003 a Liga Independente das Escolas de Samba Virtuais, Liesv, leva a emoção da avenida para a tela do computador.

O negócio é sério. Tudo começou com amigos que se incomodavam em assistir aos desfiles apenas uma vez por ano. Até que alguém deu a sugestão de criar escolas de samba virtuais. A ideia que parecia de maluco cresceu rapidamente. Hoje são 14 escolas no Grupo Especial e oito no Grupo de Acesso.

Os desfiles acontecem entre julho e agosto. Para assistir ao vivo, basta acessar o site no dia marcado. Numa tela, as alas virtuais começam a surgir – feitas em desenhos, maquetes ou fotos. Logo o intérprete, num áudio gravado, começa a puxar o samba. Há até locução, como se fosse um desfile real pela tevê. Os compactos ficam disponíveis o ano todo.

A apuração é feita por convidados ligados ao carnaval. No ano passado, numa “apuração histórica”, quatro escolas conquistaram o primeiro lugar: Imperatriz Paulista, Princesa da Zona Norte, Rainha Negra e União do Samba Brasileiro.

Não se paga para participar e nem há prêmios aos campeões. “É tudo por amor ao carnaval”, explica Luís Butti, integrante da Imperatriz Paulista, a maior vencedora do Grupo Especial, com três títulos. Mas alguns investimentos são necessários para vencer. A Imperatriz, por exemplo, contratou um intérprete de uma escola de samba real do Rio de Janeiro. Como nos desfiles de verdade, participar é bom, mas ganhar é sempre melhor.


SAIBA MAIS Site da Liga Independente das Escolas de Samba Virtuais: www.liesv.com.br

 

 

Adicionar comentário

Seus comentários serão moderados e assim que aprovados serão publicados no site.