Banner
Jofre derrubou “gigante cubano” para reconquistar cinturão E-mail
Escrito por Bruno Hoffmann   

O ginásio estava lotado para a disputa do brasileiro contra o “gigante cubano”.

Pouca gente acreditava que Eder Jofre pudesse dar a volta por cima quando, em 1969, decidiu retornar aos ringues. O boxeador havia encerrado a carreira três anos antes, ao perder o cinturão dos pesos-galo para o japonês Masashiko Harada. Mas ele não tinha dúvidas: “Voltei para ser campeão”.

Com alguns quilos a mais, Jofre reestreou na categoria peso-pena. E começou a derrubar adversário por adversário. Catorze lutas depois, sentiu que estava preparado para disputar novamente o cinturão mundial. Marcou o combate para 5 de maio de 1973 contra o cubano José Legra Ultria, em Brasília.

O ginásio estava lotado para a disputa do brasileiro contra o “gigante cubano”. Na verdade, o apelido só se justifi cava pela baixa estatura de Jofre. O adversário tinha 1,72 m, 10 centímetros a mais do que o Galinho de Ouro. O gringo também era mais jovem: 31 contra 37 anos. Ultria provocava: “Derrubarei ele antes do quinto assalto”.

Mas Jofre cumpriu o que prometera. Após 15 assaltos de uma luta dura, os jurados decretaram sua vitória. Festa na torcida. Um dos presentes resumiu o sentimento geral: “Eder é da raça dos super-homens, assim como Pelé e Jesse Owens”.

SAIBA MAIS

Veja imagens do boxeador em ação.
 

Adicionar comentário

Seus comentários serão moderados e assim que aprovados serão publicados no site.