Banner
Com discreto orgulho, Íbis comemora título de pior time do mundo E-mail
Escrito por Rafael Capanema   

8 de novembro - dia do futebol profissional


Junho de 1984. O Íbis Sport Club acumulava, desde julho de 1980, 48 derrotas e 6 empates em 54 partidas. Só em 1981, ano em que fracassou em absolutamente todas as partidas disputadas, sofreu 23 reveses consecutivos. Chegava a tomar entre 8 e 10 gols a cada partida. E quase não marcava.

Graças a esses e outros números impressionantes, a equipe fundada a 15 de novembro de 1938 começou a ser cultuada e conquistou ao menos um título: pior time do mundo.

O maior craque da história do Íbis, Mauro Shampoo, conciliava a carreira de jogador com a de cabeleireiro. O curta-metragem Mauro Shampoo: Jogador, cabeleireiro e homem, de 2005, conta a história do camisa 10 que, em dez anos dedicados ao clube, fez apenas um gol.

Ironia da fina: nesse jogo, o Íbis perdeu de 8 a 1 do modesto Ferroviário. Os diretores do filme, Leonardo Cunha Lima e Paulo Henrique Fontenelle, planejam ainda rodar um longa sobre o Íbis. Clique aqui para assistir ao curta de 22 minutos. 

A trajetória de fiascos do Íbis foi temporariamente interrompida em 1999, quando o time foi o vice-campeão na segunda divisão do Campeonato Pernambucano. No ano seguinte, elevado à divisão principal, amargou a vice-lanterna e voltou à segundona depois de 2 vitórias, 6 empates e 11 derrotas. Para piorar, entre 1999 e 2000 a equipe perdeu a maior parte de seus bons jogadores para clubes de Portugal e do interior de São Paulo.

Desde então, o Íbis não conseguiu voltar à primeira divisão. Sem ter vencido uma partida sequer, terminou a segundona do Campeonato Pernambucano de 2006 na última colocação.

Em 8 jogos, 5 derrotas e 3 empates. Nenhuma vitória. O maior revés na campanha foi contra o Sete de Setembro: um 5 a 0 testemunhado por apenas nove pagantes.

A equipe foi fundada pela Tecelagem de Seda e Algodão de Pernambuco. No início, funcionários da empresa disputavam apenas partidas amistosas. Com a morte do proprietário, João Pessoa de Queiroz, o gerente Onildo Ramos assumiu o comando da equipe e deu a ela o nome de Íbis, pássaro preto considerado sagrado no Egito Antigo.

Com sede em Olinda, o clube arrebatou admiradores famosos, como o cineasta Cláudio Assis (diretor de Amarelo Manga); o vocalista da Nação Zumbi, Jorge Du Peixe; e Miguel Arraes, ex-governador de Pernambuco. Os que quiserem ostentar a paixão pelo Íbis devem desembolsar em torno de R$ 60 pela camisa rubro-negra em grandes lojas de Olinda e Recife.

A alcunha de "pior time do mundo" está até bordada no uniforme, logo abaixo do distintivo. A letra do hino tenta convencer que não é de propósito que o Íbis perde tanto: Juro por Deus, eu prometo / Que o pássaro preto / Vai dar tudo no gramado. Mas depois, humilde, reconhece: Nosso lema é competir.

 

 

 

Adicionar comentário

Seus comentários serão moderados e assim que aprovados serão publicados no site.