Banner
Intelectuais escaparam de Getúlio em fuga espetacular E-mail
Escrito por Natália Pesciotta   

Caio Prado Júnior e outros nove intelectuais de esquerda viram no plano a perspectiva de salvar a juventude.


A moça toca a campainha de uma casa na região do Paraíso, capital paulista: “Boa tarde. Meu marido está ali no presídio, a senhora se incomoda se eu espiar pela janela do banheiro para vê-lo no pátio por um instante?”. Assim, Baby, esposa do cientista social Caio Prado Júnior, teria desenhado o croqui de um túnel para o marido escapar da cadeia, em 1937.

O sociólogo estava preso com outros nove intelectuais de esquerda que participaram da Intentona Comunista, uma tentativa de golpe contra Getúlio Vargas. Tinham em torno de 20 anos e, capturados há dois, viram no plano a perspectiva de salvar a juventude. Túnel cavado, tudo pronto para o dia 10 de fevereiro de 1937.

O plano foi um sucesso. Paulo Emilio Sales Gomes, por exemplo, futuro grande crítico do cinema brasileiro, foi direto para a embaixada da França, onde conseguiu asilo. Só quem não se deu bem foi o próprio Caio Prado. Na véspera, uma infecção o fez ser transferido. Demoraria um pouco mais para receber a anistia de Getúlio e fugir do País em um navio cargueiro.


SAIBA MAIS

Caio Prado Jr. – Uma trajetória intelectual, de Paulo Teixeira Iumatti (Brasiliense, 2007).

 

 

Comentários 

 
#1 Pensamento Baiano 17-04-2011 18:18
Assim é feita a história!
De Paradoxos!
Admiro bastante o presidente Getúlio Vargas, por outro lado adoro o Caio Prado.
Figuras ilustres que não se cruzavam! Mas que ajudaram a moldar a História do brasil.
Citar
 

Adicionar comentário

Seus comentários serão moderados e assim que aprovados serão publicados no site.