Banner
Nas ruas, as palavras são mais fortes E-mail
Escrito por Jaqueline Ogliari   

Conheça o trabalho do escritor Sacolinha e a Associação Cultural Literatura no Brasil, que leva literatura a manos e minas da periferia de São Paulo.

Foi numa caixa de livros infanto-juvenis que Ademiro Alves, o Sacolinha, descobriu sua paixão pela leitura. Depois de devorar os livros do tio ele passou a frequentar sebos e bibliotecas em busca de novas histórias.

E assim que descobriu o livro que mudaria sua vida: Quarto de Despejo – diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus. “Como pode uma escritora favelada, da década de 1960, escrever um livro assim? É isso que eu quero ser”, disse.

A identificação com a ex-catadora de papel foi imediata. Ela foi a primeira moradora de uma favela reconhecida internacionalmente como escritora. Carolina escrevia em linguagem simples, contava as histórias do duro cotidiano na extinta favela do Canindé, em São Paulo.

Um dia, Sacolinha resolveu ir além. Escreveu seu primeiro livro aos 19 anos, Graduado em Marginalidade, um romance baseado nas histórias que vê nas ruas da periferia paulista. Depois, graduou-se em letras pela Universidade de Mogi das Cruzes e fundou a Associação Cultural Literatura no Brasil, trazendo um espaço para que a comunidade da periferia de Suzano tivesse também sua vez.

A Associação é ponto de encontro da comunidade, que pode apresentar seus próprios textos, canções e poemas no sarau mensal Pavio da Cultura. Sacolinha idealizou o projeto a fim de compartilhar sua paixão pelas letras – no logotipo, um coração apaixonado pela literatura no Brasil.

O blog da Associação traz as novidades e a programação dos saraus, aberto a todos que amam a literatura.

Veja ao lado um vídeo com um trecho da entrevista com o Sacolinha e o escritor declamando um de seus poemas.


7º Concurso Literário de Suzano
Em parceria com a Secretaria de Cultura da cidade, a Associação Cultural Literatura no Brasil promove a 7a. edição do concurso literário que vem ganhando cada vez mais repercussão na região. Este ano, o concurso está aberto em todo o território nacional, e as obras podem ser inscritas em duas categorias: conto e poesia.

A edição de 2011 homenageia o escritor Moacyr Scliar, morto recentemente em Porto Alegre. Scliar publicou mais de setenta livros, dentre crônicas, romances, contos e histórias infanto-juvenis. “É nossa homenagem a um escritor disposto a vir aqui falar com a periferia e a contar suas histórias”, afirma Sacola. Moacyr Scliar visitou a Associação em 2007.

As inscrições vão até 10 de junho. Consulte o regulamento no blog da Associação.
 

Adicionar comentário

Seus comentários serão moderados e assim que aprovados serão publicados no site.