Banner
Camisa 10 do pior time do mundo fez um gol em 10 anos E-mail
Escrito por Rafael Capanema   

6 de setembro - dia do cabeleireiro

“Jogador do Íbis, cabeleireiro e homem: Mauro Shampoo, às suas ordens.” Assim atende o telefone de seu salão o maior craque da história do Íbis Sport Club, o pior time de futebol do mundo. A fama vem da década de 1980, quando a equipe pernambucana acumulou uma série histórica de derrotas colossais.

No auge da carreira, Shampoo usava um corte de cabelo inspirado em Diego Maradona. Seu futebol, porém, não era tão vistoso. Em dez anos de carreira, marcou apenas um gol, em jogo contra o Ferroviário. Pegou o rebote do goleiro e, da marca do pênalti, empurrou a bola para as redes, abrindo o placar. Mas o Ferroviário acabou virando o jogo: 8 a 1.

Ainda hoje Shampoo atende os clientes vestido com o uniforme rubro-negro do Íbis. Há mais de uma década o camisa 10 cobra 10 reais pelo corte. E ainda oferece uma semana de garantia. Os nomes de suas criações: Caminho do Gol, Bicicleta, Gol de Pênalti.

O ex-craque teve infância pobre. Dos 9 aos 14, trabalhou como engraxate nas ruas de Recife. Hoje sonha abrir uma escola de cabeleireiros para crianças. Nunca ganhou um centavo jogando pelo Íbis. Mas o carisma o alçou à fama regional, amplificada depois de participar de inúmeros programas de tevê.

Em 2005, foi tema do impagável documentário Mauro Shampoo: Jogador, cabeleireiro e homem, que acumula prêmios em festivais de cinema pelo Brasil. Além do salão, Shampoo é a estrela da equipe de Masters do Íbis, que reúne ex-jogadores para partidas em eventos diversos.


SAIBA MAIS

Mauro Shampoo: Jogador, cabeleireiro e homem
(2005), filme de Leonardo Cunha Lima e Paulo Henrique Fontenelle.
 

Adicionar comentário

Seus comentários serão moderados e assim que aprovados serão publicados no site.