Em 1920, o paulista Paulo de Oliveira Leite Setúbal publica o primeiro livro: Alma Cabocla. Os 3 mil exemplares esgotam-se em um mês. Cantam a vida dos camponeses do interior.
Nascido em Tatuí há 110 anos, a 1º de janeiro de 1893, bem jovem muda para a capital. No colégio, influenciado por amigos, temas religiosos tornam-se hipóteses, sem valor racional. Interessa-se por literatura e filosofia. Aos 17, entra na faculdade de Direito, mas dedica-se ao Jornalismo. No diário A Tarde começa como revisor, em 1912. Mostra suas poesias. Dias depois saem publicadas na primeira página. É promovido a redator.
Publica romances: A Marquesa de Santos (1925) e O Príncipe de Nassau (1926). Retratos da história paulista que marcaram a literatura brasileira. Escreveu Monteiro Lobato:
Poeta à boa moda humana: fácil, sem arrebique, sem tortura, sem a preocupação exclusiva do exótico, do raro.
Deputado estadual e membro da Academia Brasileira de Letras, morre aos 44 anos de tuberculose, sem finalizar a autobiografia Confiteor, do latim, que significa eu confesso. Deixa três filhos com Francisca de Souza Aranha, um deles o banqueiro Olavo Egydyo Setúbal, fundador do Itaú.
Dos lábios que me beijaram,
Dos braços que me abraçaram
Já não me lembro, nem sei…
São tantas as que me amaram!
São tantas as que eu amei!